Informativo Fesp iNova - Nº 4 - Outubro 2013 - page 7

Estudos analisam a taxa
da mortalidade neonatal
no município de Passos
A Fundação de Ensino Supe-
rior de Passos / FESP em par-
ceria com a da Secretaria Muni-
cipal de Saúde de Passos (SMS)
desenvolvem o projeto “Análise
da mortalidade neonatal no
município de Passos no perío-
do de 2006 a 2012”. O estudo é
resultado de um projeto de pes-
quisa aprovado através da Fun-
dação de Apoio a Pesquisa do
Estado de Minas Gerais que
visa analisar as declarações de
óbitos neonatais digitadas no
Sistema de Informação sobre
Mortalidade (SIM).
No Brasil, a mortalidade in-
fantil é um dos principais pro-
blemas da saúde pública, tendo
no seu componente neonatal
(óbitos ocorridos até 27 dias
de vida) o maior número de
óbitos. As causas destes óbitos
estão comumente relaciona-
das às más condições da assis-
tência ao pré- natal, parto e ao
recém nascido, tendo também
grande influência, a precarie-
dade das condições de aten-
dimento de grande parte das
gestantes brasileiras.
Este projeto irá compreen-
der e constituir um indicador
das causas e caracterizarão a
evitabilidade da mortalidade
neonatal no período de janeiro
de 2006 a dezembro de 2012 no
município de Passos. Os resul-
tados desta pesquisa serão apre-
sentados aos técnicos da Se-
cretária Nacional de Saúde e a
expectativa dos pesquisadores é
de que eles subsidiem a reorien-
tação da assistência ao grupo
materno- infantil, estruturando
serviços e ações que garantam
um atendimento de qualidade
e oportuno, capaz de reduzir a
taxa de mortalidade infantil no
município de Passos.
Trata-se de um estudo des-
critivo, documental de cunho
quantitativo e está sendo desen-
volvido por duas alunas do 5°
período do curso de enferma-
gem, Tatiane Marisa de Carva-
lho e Cristielle Amaro Machado
de Faria, coordenadas e orienta-
das pela professora do Curso de
Enfermagem, a mestre Marcia
Aparecida Silva Viana.
Apoio financeiro: FAPEMIG
Projeto científico
avalia efeito da
massagem Shantala
A FESP através do pro-
jeto científico desenvolvi-
do pela professora Doutora
Nilzemar Ribeiro de Souza,
“Impacto da implantação
da Massagem Shantala para
crianças: ensaio de campo
randomizado” tem orienta-
do famílias no bairro Novo
Horizonte na cidade de Pas-
sos. O estudo é desenvolvido
com o apoio das alunas de
graduação Kênia Fernandes
Freitas e Amanda Botelho
Cardoso e a bolsista BIC JR
FAPEMIG, estudante do Co-
légio Tiradentes de Passos,
Amanda Botelho Cardoso.
O objetivo do projeto é
avaliar o emprego do Méto-
do Massagem Shantala em
crianças menores de 2 anos
em uma Unidade de Saúde
da Família do município de
Passos-MG, por meio de es-
tudo randomizado. O estu-
do é direcionado aos pais de
crianças menores de 2 anos
de idade do PSF Novo Hori-
zonte. A escolha do local se
deu em razão do número de
nascimentos e pelo Critério
de Classificação Econômi-
ca Brasil (CCEB) pela baixa
renda e carência da popula-
ção nesta unidade.
A pesquisa está no seu se-
gundo ano de execução, onde
para cada cinco pais que
aceitam participar da amos-
tra, dois são sorteados para
pertencer ao grupo interven-
ção, que consiste no acom-
panhamento de enfermagem
em puericultura sendo adota-
da ficha própria e o emprego
da Massagem Shantala con-
comitante com as consultas,
em oficinas de 8 encontros
educativos, com periodicida-
de de uma ou duas vezes por
semana, de acordo com ní-
vel de aprendizado dos pais.
As outras três pertencem ao
grupo controle, que recebem
as consultas de enfermagem
em puericultura uma vez ao
mês, preconizadas pelo PSF-
Novo Horizonte, quando são
coletados dados sócio – de-
mográficos, antropométrico,
alimentar e condições de saú-
de destas crianças.
De acordo com a Professo-
ra Doutora Nilzemar Ribeiro
de Souza no primeiro ano
do projeto, 8 crianças foram
randomizadas para o gru-
po de intervenção (GI) e 12
para o grupo controle (GC).
Constatou-se que 100% das
crianças do GI obtiveram um
crescimento satisfatório de
acordo com o peso, estatura
e perímetro cefálico do que
as do GC sendo que deste
grupo 50% satisfatório, 8,3%
com obesidade, 33,4% em
risco nutricional e 8,3% com
risco de desnutrição; quanto
ao cartão vacinal obteve-se
100% do GI e 41,6% do GC;
no uso exclusivo do aleita-
mento materno até sexto mês
de vida 87,5% do GI e 33,3%
do GC; com relação a mor-
bidade do GI 25% tiveram
febre e 12,5% com problemas
respiratórios e o GC 16,6%
tiveram febre, 25 % com
problemas respiratórios. No
total da pesquisa pretende-se
atingir o número estimado de
20 mães da amostra na Mas-
sagem Shantala e 30 no gru-
po controle.
Apoio financeiro:
FAPEMIG.
informativo fesp inova 04.indd 7
14/10/2013 08:49:23
1,2,3,4,5,6 8,9,10,11,12
Powered by FlippingBook